Mais Diferenças - Educação e cultura inclusivas

Ações do usuário

Entrar Cadastre-se
Conteúdo
Home » Educação » Pesquisa: Boas práticas em educação inclusiva

A oferta de escolas inclusivas demanda dos sistemas educacionais mudanças na gestão, na formação docente, nas práticas pedagógicas, nos materiais didáticos, além da própria visão sobre as experiências educativas vividas pelas pessoas com e sem deficiência em um mesmo espaço.

Entre 2015 e 2016, a Mais Diferenças pesquisou boas práticas adotadas por municípios brasileiros na implementação da política de educação inclusiva, levando em conta a garantia do acesso, a participação e a aprendizagem de estudantes com deficiência, transtornos do espectro autista (TEA), transtorno global do desenvolvimento (TGD) e altas habilidades/superdotação em escolas e salas comuns. O levantamento foi feito em parceria com a UNESCO e o Ministério da Educação.

A publicação “Escola para todos: experiências de redes municipais na inclusão de alunos com deficiência, TEA, TGD e altas habilidades” reuniu dados quantitativos, análises e depoimentos de gestores educacionais e de familiares de pessoas com deficiência de dez redes municipais de ensino de todas as regiões do país: Barreiras (BA), Betim (MG), Erechim (RS), Floriano (PI), Florianópolis (SC), Maracanaú (CE), Oiapoque (AP), Porangatu (GO), Rio Branco (AC) e Vitória (ES). Os municípios selecionados para essa pesquisa já haviam se destacado por seus indicadores relacionados à inclusão educacional e pelo recebimento de premiações ligadas à temática.


Notícias sobre o projeto


Depoimentos


Materiais